Copa do Mundo de 2022 – Suíça (Grupo G)

A Copa do Mundo no Qatar será a 12ª participação da Suíça em uma fase final de Copa do Mundo. A Suíça não falha a classificação desde 2006. Em 1954, a Suíça sediou a própria Copa do Mundo, onde superou seu próprio recorde das Copas do Mundo de 1934 e 1938 ao chegar às quartas-de-final. Em 2014 no Brasil e 2018 na Rússia, ambos chegaram às oitavas-de-final. Na última Copa do Mundo realizada, eles perderam por 1×0 para a Suécia depois de passar a fase preliminar em São Petersburgo.

A rota de qualificação

No Grupo C das eliminatórias para a Copa do Mundo, a Suíça enfrentou equipes da Itália, Irlanda do Norte, Bulgária e Lituânia. A Suíça empatou duas vezes contra a atual campeã europeia Itália e não perdeu outro jogo. Os italianos, que também permaneceram invictos, acabaram ganhando um jogo a menos que os suíços e assim tiveram que ceder à Suíça o primeiro lugar e a classificação direta para a Copa do Mundo.

Estrelas

Durante muitos anos, os suíços provaram ser uma construção muito equilibrada, sem um único protagonista de destaque. Entretanto, Xherdan Shaqiri, que recentemente se mudou do Liverpool FC para o Chicago Fire na MLS, continua sendo um jogador chave que pode proporcionar diferenças cruciais. A Suíça tem dois jogadores de destaque na posição de goleiro, onde o goleiro Yann Sommer (Borussia M’Gladbach) de longa data está batalhando com Gregor Kobel, do Dortmund, pela vaga no gol.

O treinador

Após o Campeonato Europeu no verão de 2021, o ex-jogador internacional Murat Yakin assumiu o cargo de técnico do bem-sucedido Vladimir Petkovic. Desde então, o Yakin esteve à margem durante 13 jogos, ganhando uma média de 1,46 pontos – perdendo quatro de seis jogos em 2022 até julho inclusive, três deles na Liga das Nações da UEFA. Antes de sua passagem pelo clube, Yakin passou muitos anos como treinador, incluindo passagens pelo FC Basel, Grasshoppers Zurich e Spartak Moscou. Sua formação preferida é um 4-2-3-1.

Melhor onze

Yann Sommer (Borussia M’Gladbach) – Kevin Mbabu (Fulham), Manuel Akanji (Manchester City), Nico Elvedi (Borussia M’Gladbach), Ricardo Rodriguez (FC Torino) – Granit Xhaka (Arsenal), Djibril Sow (Eintracht Frankfurt) – Xherdan Shaqiri (Chicago Fire), Remo Freuler (Nottingham Forest), Ruben Vargas (FC Augsburg) – Breel Embolo (AS Monaco)

Copa do Mundo 2022

A Suíça foi sorteada no Grupo G para a Copa do Mundo de 2022 e enfrentará velhos conhecidos lá: O Brasil e a Sérvia já eram adversários na Copa do Mundo de 2018, na época houveum surpreendente empate contra os favoritos Brasil e, além disso, uma vitória contra a Sérvia. O outro adversário são os Camarões.

A Suíça é uma equipe muito disciplinada, com muita experiência na Bundesliga. Com exceção do Remo Freuler do Nottingham Forest, todos os jogadores do círculo interno de possíveis regulares já jogaram na Alemanha ou ainda estão lá.

De certa forma, eles também são comparáveis a um time da Bundesliga, um pouco como Freiburg, um pouco como Mainz – num dia bom, eles podem irritar os favoritos com a unidade de seu time, mas em outros dias sofrem derrotas claras.

Eles conseguiram se manter contra o Brasil e a Sérvia em 2018, mas as coisas parecem muito diferentes novamente em 2022. A Sérvia melhorou muito, os brasileiros parecem ser muito mais fortes do que no torneio passado, pelo menos no papel. Os suíços não têm um jogador excecional em suas fileiras, falta também um verdadeiro marcador de gols e um excelente goleiro sozinho não é suficiente para ir longe no torneio. Ao contrário de seus antecessores Hitzfeld e Petkovic, Murat Yakin não foi capaz de convencer em nenhuma de suas antigas equipes.

Portanto, as previsões para a Suíça são sombrias: o Brasil, a Sérvia e os Camarões parecem ser fortes demais para que a Suíça se qualifique para as oitavas de final.

Outras equipes do Grupo G da Copa do Mundo: